Melhores Séries 2014

As séries são o fenômeno cultural do século XXI. Se antes eram tratadas, pelo menos no Brasil, como enlatados sem qualidade, atualmente despertam a atenção do público e da crítica de todo o mundo. Houve uma clara substituição dos filmes pelos seriados na escala de importância da indústria cultural.

Não se pode dizer que tenha sido a banalização do cinema, a pirataria, a indústria dos blockbusters ou o limitado tempo em que uma história deve ser contada. O certo é que nunca se produziu tanto cinema com tão baixa qualidade. Ao mesmo tempo, fenômeno inverso verificou-se quanto aos seriados. Algumas sérias passaram a constar das referências culturais de pessoas bem informadas, tais como A Sete Palmos, Família Soprano, A Escuta e Breaking Bad.

No Brasil, as novelas televisivas ainda dominam a cena cultural. É por meio das novelas que a maioria da população se discute e se reconhece, mas já se nota o interesse pelos seriados estrangeiros, especialmente com a disseminação da TV por assinatura, com algum apoio da pirataria.

Por isso, dada a relevância do fenômeno, vou me permitir reunir alguns seriados de 2014 e elegê-los os melhores do ano.

6- Homeland – Conseguiu sobreviver à morte de um dos principais personagens (Nicolas Brody). A quarta temporada começou muito bem, mas perdeu fôlego nos últimos capítulos. Claire Danes teve mais uma temporada fenomenal. Só ela já vale a série.

5- Fargo – Série dos irmãos Coen que reedita a atmosfera do filme de mesmo nome. Trata-se da investigação de um homicídio ocorrido em algum lugar da américa profunda em que pessoas com horizontes limitados desfilam sua humanidade, com o que ela apresenta de bom e de ruim.

4- Olive Kitteridge – Atriz que estrelou Fargo (o filme) carrega esta série triste e desesperançada. A produção acompanha a vida de mulher irritadiça e mal humorada e seu relacionamento com o marido e filho. Bom roteiro com excelentes atores. Como em Fargo, a série é permeada por um humor sutil.

3- House of Cards – Série sobre poder e ambição, aborda a falta de moralidade do mundo político. A história é envolvente, sendo impossível deixá-la de lado depois de iniciada. Fácil de assistir, costuma provocar certo asco do mundo político. No entanto, muitos assistem à série como se estivessem se educando sobre política e sobre poder. São os que acreditam que Maquiavel é a última palavra em termos de política. Independentemente das críticas que possamos fazer se adotarmos o ângulo da ciência política, a série é ótima e transgressora. Vale cada minuto assistido.

2- True Detective – Melhor estreia do ano, com desempenho simplesmente espetacular dos dois atores principais (Matthew McConaughey e Woody Harelson) tem um pouco de tudo: assassinatos, filosofia, niilismo, maldade absoluta, infidelidade, drogas, sexo, suspensa, tudo isso acompanhados de excelentes roteiro e direção. Sofreu um pouco da síndrome do último capítulo (tal como Homeland, o final não me pareceu no nível da série).

1- Mad Men – Melhor série dos últimos anos, vai ser minha preferida até o ano que vem, quando terá seu fim. A temporada deste ano acompanha a tentativa de retomada de Don Draper na agência de publicidade que ajudou a criar. A série retrata o início da loucura dos anos 1970 (a história se inicia na década anterior). O niilismo já havia se acercado da vida das pessoas que buscavam desesperadamente encontrar um sentido para tudo isso. O protagonista deixou sua identidade para trás, mas, se seu objetivo era se livrar de si mesmo, foi muito mal sucedido. Don Draper só começou a dar algum valor ao que tinha construído para si quando se viu prestes a perder tudo. Desde o primeiro episódio dessa série percebo que a abertura retrata a queda de um homem por entre prédios (que edificam nossa civilização?). Será esse o final de Don Draper? O ano de 2015 nos trará a resposta.

Fora desse ranking, indico ainda as inglesas Happy Valley, Vera, The Line of Duty, Shetland e as americanas Rectify, The Americans e The Affair.

Aos fanáticos, ressalvo que não comecei a assistir Game of Thrones e que não gosto de Walking Dead.

Gustavo Theodoro

Anúncios

1 comentário

  1. Eu poderia citar alguns outros além destas séries que eu amo, um dos quais é a produção actua O Hipnotizador, uma história de um homem enigmático, que em cada capítulo revela segredos inimagináveis de pessoas que o usam. Uma série que nos ensina como o poder da mente é impressionante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s